sábado, 11 de junho de 2011

Houve ou houveram?

O verbo haver no sentido de existir, acontecer, suceder, fazer ou quando indica tempo decorrido é impessoal. Portanto, não tem sujeito e por isso não deve ser flexionado. O verbo deve ficar na terceira pessoa do singular.


Exemplos:

Houve muitas reclamações?

Nunca houve tantos conflitos no mundo como agora.


Se houvesse mais fiscalização a corrupção teria fim.


duas semanas não saio de casa.

Não vagas no mercado de trabalho.


A regra deve ser mantida quando o verbo haver formar uma locução:


Deve haver milhões de pessoas doentes no mundo.

Poderá haver muitas passeatas neste local.



MAS quando o verbo haver pode ser substituído pelo verbo ter, a concordância deve ser feita:


As casashaviam (tinham) sido feitas.

Hão (Terão) de devolver o nosso dinheiro.

Os presidentes haveriam (teriam) de sair do congresso.

11 comentários:

  1. Paula,
    Parabéns pelo post, e pelo blog de uma forma geral, que revela uma grande iniciativa sua.

    Abraços,
    F. Diaz Mendes

    ResponderExcluir
  2. Gostei! Todos os cidadãos deviam ler este post. Curto e eficaz. Bem haja!

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, Paula. Gostei demais do seu blog e desejo, de coração,que tenha o maior sucesso. Também gostei de sua maneira de apresentá-lo, quando escreveu:"É uma forma de eu estudar e também dividir esses conhecimentos com vocês."...
    Isso aí: Modéstia e humildade é muito bom. Parabéns.
    Agora, o que me dá nos nervos é essa coisa do brasileiro de inventar ou mudar palavras, achando que assim fica mais 'chic'!
    Primeiro, foram os malditos "com certeza", os "a nível de", os "focar",os "inicializar" etc., etc. E agora, a bola da da vez é o "segue e/ou o "seguir", no sentido de CONTINUAR, que está sendo usado por jornalistas (?) até mesmo da Globo e do Estadão (fulano "segue" internado;o técnico "segue" com a mesma escalação etc.).
    Por que essa mania de trocar boas palavras por outras que nada tem a ver??
    Abraços; e sucesso.
    Caio Lima

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Paula. Gostei demais do seu blog e desejo, de coração,que tenha o maior sucesso. Também gostei de sua maneira de apresentá-lo, quando escreveu:"É uma forma de eu estudar e também dividir esses conhecimentos com vocês."...
    Isso aí: Modéstia e humildade é muito bom. Parabéns.
    Agora, o que me dá nos nervos é essa coisa do brasileiro de inventar ou mudar palavras, achando que assim fica mais 'chic'!
    Primeiro, foram os malditos "com certeza", os "a nível de", os "focar",os "inicializar" etc., etc. E agora, a bola da da vez é o "segue e/ou o "seguir", no sentido de CONTINUAR, que está sendo usado por jornalistas (?) até mesmo da Globo e do Estadão (fulano "segue" internado;o técnico "segue" com a mesma escalação etc.).
    Por que essa mania de trocar boas palavras por outras que nada tem a ver??
    Abraços; e sucesso.
    Caio Lima

    ResponderExcluir
  5. Gostei do seu blog, vou ficar acompanhando. Parabéns!

    ResponderExcluir
  6. Bacana esse blog!
    Hoje tirei minhas dúvidas sobre "HOUVE" ou "HOUVERAM", através de uma explicação simples e, portanto, clara.

    Obrigado.

    M.

    ResponderExcluir
  7. Obrigado pelo esclarecimento simples, objetivo e muito útil.
    MEVQ

    ResponderExcluir
  8. Muito bom o post. Me ajudou bastante pois o WORD me corrige e não me explica o porque. =)

    ResponderExcluir
  9. Esse blog ajuda-nos (alunos) de uma forma bem objetiva. Parabéns pela iniciativa e incentivo para que possamos melhorar o nosso tão massacrado português.

    ResponderExcluir